O Guarani de José de Alencar e Il Guarany de Carlos Gomes: Literatura e música em diálogo.

Maria Cláudia Bachion Ceribeli

Resumo


O Guarani by Jose de Alencar and Il Guarany by Carlos Gomes: Literatura and Music in Dialogue

Resumo: O Guarani de José de Alencar e Il Guarany de Carlos Gomes estão relacionados por fatores como o contexto histórico em que foram produzidos, pela temática e pelo diálogo entre os sistemas de signos, observando-se que Il Guarany é uma tradução intersemiótica de O Guarani. A partir da aproximação entre Literatura e Música, e das relações semióticas entre os sistemas de representação utilizados, este artigo analisa os elementos do romance e da ópera citadas e uma comparação sobre como cada sistema de signos utiliza esses elementos para dar origem ao texto, considerando como texto não apenas aquele composto de palavras (o romance), mas também o texto com sons, dramatização, cenário (a ópera). Através da análise realizada, tendo como objetos o livro de José de Alencar e a ópera de Carlos Gomes (considerando-se o libreto e a gravação em vídeo de uma das montagens), observou-se que é possível transmitir a ideia do artista em diferentes sistemas de signos e que o trânsito interartes, ou tradução intersemiótica, permite o acesso às obras literárias em diferentes tempos históricos e espaços, contribuindo para sua permanência e o acesso de diferentes públicos.
Palavras-chaves: O Guarani; Romantismo; Literatura e Música.

Abstract: José de Alencar's Guaraniand Carlos Gomes's Il Guarany are related by factors such as thehistorical context in which they were produced, the the meand the dialogue between sign systems, notingthat Il Guarany is an interse miotic translation of O Guarani. From the approximation between Literature and Music, and the semiotic relations between the representation systems used, this articleanalyzes the elements of the novel and opera cited and a comparison of howeach sign system uses these elements to giverise to the text, considering as text not only that composedo fwords (the novel), butalso the tex twith sounds, dramatization, setting (the opera). Through the analysis performed, having as objects the book by José de Alencar and the opera by Carlos Gomes (considering the libretto and thevideo recording of one of the montages), it was observed that it is possibleto convey the artist's idea in different sign systems and that interart transit, orinter semiotic translation, allows access to literary works in different historical times andspaces, contributing to their permanence and access by different audiences.
Keywords: The Guarani; Romanticism;; Literature and music.

Recebido em: 20/12/2019  – Aceito em 31/12/2019



Palavras-chave


O Guarani; Romantismo; romance; Literatura e Música; relações intersemióticas.

Texto completo:

PDF

Referências


ABBATE, Carolyn; PARKER, Roger. Uma história da ópera: os últimos quatrocentos anos. São Paulo: Companhia das Letras, 2015, 688p.

ADORNO, Theodor W. Teoria estética. São Paulo: Martins Fontes, 1982, 201p.

ALENCAR, José de. O Guarani. 3ª ed. São Paulo: Ateliê Editorial, 2014, 528p.

AZEVEDO, Cláudia Chalita de. “A formação e o desenvolvimento do romance”. Revista Cadernos do IL, Porto Alegre, nº 47, pp.104 – 122, 2013.

BARTHES, Roland. Aula. Tradução e posfácio de Leyla Perrone-Moisés. São Paulo: Editora Cultrix, 1989, 96p.

BOSI, Alfredo. Dialética da colonização. São Paulo: Companhia das letras, 1992, 424p.

____________ História concisa da literatura brasileira. 48ª ed. São Paulo: Cultrix, 2012, 568p.

COLI, Jorge. Música final: Mário de Andrade e sua coluna jornalística Mundo musical. Campinas, São Paulo: Editora da UNICAMP, 1998, 407p.

__________ A paixão segundo a ópera. São Paulo: Perspectiva, 2003, 138p.

FANINI, Angela Maria Rubel. “O romance: uma forma ético-política na perspectiva baktiniana”. Revista Bakhtiniana, Ver. Estud. Discurso, São Paulo, vol.8, n.1, pp. 21-39, 2013.

FIGUEIREDO, Denise de Lima Santiago. O Guarani: o romance de José de Alencar na ópera de Carlos Gomes. 2017. 138f f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Programa de Pós-Graduação em Letras, Universidade Estadual de Santa Cruz, Ilhéus, Bahia, 2017.

GÓES. Marcus. Carlos Gomes: a força indômita. Belém: SECULT, 1996, 432p.

JAUSS, Hans Robert. A história da literatura como provocação à teoria literária. Trad. Sérgio Tellaroli. São Paulo: Ática, 1994. 78p.

MACHADO, Irene. “Gêneros discursivos”. In: BRAIT, Beth (Org.). Bakhtin: outros conceitos-chave. 1ª ed. São Paulo: Contexto, 2008, pp151-166.

MARTINS, Eduardo Vieira. “Apresentação”. In: ALENCAR, José de. O Guarani. 3ª ed. São Paulo: Ateliê Editorial, 2014, pp11-42.

______________________ A fonte subterrânea: José de Alencar e a retórica oitocentista. Londrina: Eduel, 2005, 270p.

MEYER, Marlyse. Folhetim: uma história. São Paulo: Companhia das Letras, 1996, 478p.

MOISÉS, Massaud. História da literatura brasileira: das origens ao romantismo. V.I. São Paulo: Cultrix, 2012, 728p .

________________ A literatura portuguesa. 37ª ed. São Paulo: Cultrix, 2013, 576p.

MORETTI, Franco. “O romance: história e teoria”. Trad. Joaquim Toledo Jr. Revista Novos estudos CEBRAP, São Paulo, n. 85, pp.200-213, 2009.

OLIVEIRA, Solange Ribeiro de. Literatura e música: modulações pós-coloniais. São Paulo: Editora Perspectiva, 2002, 221p.

PIERCE, Charles S. Semiótica. Tradução de José Teixeira Coelho Neto. 4ª ed. São Paulo: Perspectiva, 2017, 337 p.

PLAZA, Julio. Tradução intersemiótica. 1ª ed. São Paulo: Editora Perspectiva, 2003, 232p.

POUND, Ezra. Abc da literatura. Tradução de Augusto de Campus e José Paulo Paes. 2ª ed. São Paulo: Editora Cultrix, 1973, 218p.

SCALVINI, Antonio; d’ORMEVILLE, Carlo. Il Guarany: melodrama em quatro atti. Disponível em :< http://www.librettidopera.it/zpdf/guarany.pdf>. Acesso em: 24 ago. 2018.

SCHWAB, Klaus. A quarta revolução industrial. Tradução de Daniel Moreira Miranda. São Paulo: Edipro, 2016, 160p.

SILVA, José Eduardo Rolim de Moura Xavier. D’O Guarani a Il Guarany: a trajetória da mimesis da representação. Maceió: EDUFAL, 2007. 180 p.

TARASTI, Eero. “Los signos en la historia de la música, historia de la semiótica musical”. Semiótica musical, Tópicos del Seminario, v.19, p. 15-71, 2008.

TEZZA, Cristovão. “Poesia”. In: BRAIT, Beth (Org.). Bakhtin: outros conceitos-chave. 1ª ed. São Paulo: Contexto, 2008, pp195-218.

VERMES, Mónica. Crítica e criação: um estudo da Kreisleriana Op. 16 de Robert Schumann. São Paulo: Ateliê Editorial, 2007, 182p.

VILAR, Gerard. “Introduccion”. In: ADORNO, Theodor. Sobre la música. México: Ediciones Paidós/I.C.E. de la Universidad Autónoma de Barcelona, 2008, pp9-23.


##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Incluir comentário

Direitos autorais 2020 Maria Cláudia Bachion Ceribeli

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

NOVO QUALIS CAPES B2