Proposições para a salvaguarda do patrimônio funerário em Juiz de Fora: O Cemitério de Nossa Senhora da Glória e o Cemitério da Comunidade Evangélica de Confissão Luterana.(Dossíê: As Dinâmicas do Patrimônio Cultural da Materialidade a Imaterialidade)

Fabricio da Silva Fernandes

Resumo


Propositions for safeguarding the funerary heritage in Juiz de Fora: The Cemetery of Nossa Senhora da Glória and the Cemetery of the Evangelical Community of Lutheran Confession.

Resumo: Este trabalho reflete o estudo sobre a preservação do patrimônio funerário em Juiz de Fora. O foco é uma análise comparativa entre os Cemitérios de Nossa Senhora da Glória e Cemitério da Comunidade Evangélica de Confissão Luterana de Juiz de Fora/MG. A análise retrata a instalação dos espaços destinados aos sepultamentos na cidade. Nesse contexto, veremos as transformações nos olhares e o desenvolvimento de estudos que possibilitam uma mudança no olhar sobre o espaço fúnebre, destacando o posicionamento do poder público em relação ao patrimônio cultural dos cemitérios, iniciada com a abertura de processos de tombamento relacionados ao Cemitério Municipal.  Assim, a proposta tem por objetivo possibilitar o conhecimento e preservação ao espaço fúnebre, visando o acesso aos locais enquanto bem culturais, e também como bens de utilidade pública.

Palavra-chaves: Cemitério Luterano; Cemitério da Gloria; Estudo Fúnebre; Patrimônio Cultural; Juiz de Fora; Espaço Sagrado;

Abstract: This work reflects the study about the preservation of the funeral patrimony in Juiz de Fora. The focus is a comparative analysis between the Cemetery of Our Lady of Glory and Cemetery of the Evangelical Community of Lutheran Confession of Juiz de Fora / MG. The analysis depicts the installation of burial spaces in the city. In this context, we will see the changes in the eyes and the development of studies that allow a change in the look on the funeral space, highlighting the position of the public power in relation to the cultural heritage of cemeteries, started with the opening of tipping processes related to the Municipal Cemetery . Thus, the purpose of the proposal is to enable knowledge and preservation of the funeral space, aiming at accessing the places as cultural assets, as well as public utility goods.

Keywords: Lutheran Cemetery; Glory Cemetery; Funeral Study; Cultural heritage; Juiz de Fora; Sacred space;

Recebido em: 17/11/2019  – Aceito em 31/12/2019


Palavras-chave


Cemitério Luterano; Cemitério da Glória; Espaço de Memória

Texto completo:

PDF

Referências


Referências bibliográficas:

ALMEIDA, Leandro Gracioso de. Memórias de um ofício: Os Marmoristas e o Cemitério Municipal de Juiz de Fora. (1864-1974). Pelotas: Universidade federal de Pelotas. Programa de Pós – Graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural. 2016.

ALMEIDA, Leandro Gracioso de; BUCHWEITZ, Marlise. Patrimônio Cultural em Perigo: A arte funerária e o descaso com sua proteção em Juiz de Fora/MG. VIII Seminário Internacional Políticas Culturais, 2016. 1184-1194.

AZEVEDO, Nilo de Lima; JABOUR JUNIOR, Wilson Coury. Reflexões e olhares: O Patrimônio Cultural de Juiz de Fora. Juiz de Fora: Funalfa edições, 2012.

AZZI, Riolando. Sob o Báculo Episcopal: A Igreja Católica em Juiz de Fora 1850-1950. Juiz de Fora: Centro da Memória da Igreja de Juiz de Fora, 2000.

BORGES, Célia Maria (orgs). Solidariedades e Conflitos: Histórias de vida e trajetórias de grupos em Juiz de Fora. Juiz de Fora: Editora UFJF, 2000, p. 94.

Carta dos jardins históricos brasileiros dita carta de Juiz de Fora. I Encontro Nacional de Gestores de Jardins Históricos e Artístico Nacional. Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN; Fundação Museu Mariano Procópio – MAPRO; Fundação Casa de Rui Barbosa. Juiz de Fora, 2011.

CASTRO, Elisiana. Aqui também jaz um patrimônio: identidade, memória e preservação patrimonial a partir do tombamento de um cemitério (o caso do Cemitério do Imigrante de Joinville/SC. Santa Catarina: UFSC/PGAU, 2008.

CASTRO, Elisiana Trilha. Cemitérios Protestantes: Marcas de um outro sagrado em uma outra terra. Fazendo Gênero nº 9. Diásporas, Diversidades, Deslocamentos 23 a 26 de agosto de 2010, pag. 4. Acesso em: 30 de abril de 2015. Disponível em:

http://www.fazendogenero.ufsc.br/9/resources/anais/1276648276_ARQUIVO_ArtigoElisianaTrilhaCastro.pdf

COSTA, Fernanda Maria Matos da. A Morte e o Morrer em Juiz de Fora: Transformações nos Costumes Fúnebres, 1851- 1890. Dissertação (Programa de Pós graduação em História) – ICH, Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2007.

ESTEVES, Albino; LAGE, Oscar. V. B. Álbum do município de Juiz de Fora. Belo Horizonte: Imprensa Oficial, 1915.

FERENZINI, Valéria Leão. Reforma e Normatização: Os redentoristas holandeses em juiz de Fora. In: usos do passado: XII encontro nacional de História, 2006, Rio de Janeiro. Ampuh. Rio de Janeiro: 2006. Disponível em: www.rj.ampuh.org/resourses/rj/Anais/2006/conferências/Valeria%20leao%20Ferenzini.pdf

FERREIRA, A. B. de H. Novo dicionário da língua portuguesa. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986.

FERREIRA, Antônio Carlos Lemos. A Devoção a Santo Antônio em Juiz de Fora: O Santo Fujão. Juiz de Fora: Funalfa, 2008.

GIROLETTI, Domingos. Industrialização de Juiz de Fora: (1850-1830). Juiz de Fora: UFJF, 1988.

GRASSI, Clarissa. Um olhar... A arte do silêncio. Curitiba - PR, 2006.

HALBWACKS, Maurice. A Memória Coletiva. Tradução de Laurent Léon Schaffter. São Paulo: Centauro, 2004.

LESSA, Jair. Juiz de Fora e seus pioneiros (do Caminho Novo à proclamação). Juiz de Fora: UFJF/FUNALFA, 1985.

LYNCH, Kevin. A imagem da cidade. Tradução de Jefferson Luiz Camargo. 3ªed. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011.

MENESES, Ulpiano T. Bezerra de . Cultura política e lugares de memória. In: Cecilia Azevedo; Denise Rollemberg; Maria Fernanda Bicalho; Paulo Knauss; Samantha Viz Quadrat. (Org.). Cultura política, memória e historiografia. 1 ed. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2009, v. , p. 445-464;

NEVES, José Alberto Pinho; DELGADO, Ignácio José Godinho; OLIVEIRA, Mônica Ribeiro de. Juiz de Fora: História, Texto e Imagem. Juiz de Fora: Funalfa, 2004.

NOGUEIRA, Renata Quando um cemitério é patrimônio cultural. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO. Programa de pós-graduação em memória social. 2013

OLIVEIRA, Paulino de. História de Juiz de Fora. 2. ed. Juiz de Fora: Gráfica Com. E Ind. Ltda, 1966.

PASSAGLIA, Luiz Alberto do Prado. A preservação do Patrimônio Histórico de Juiz de Fora: Medidas iniciais. Instituto de Pesquisa e planejamento – Prefeitura de Juiz de Fora. Juiz de Fora, Mg s.d.

PEREIRA, Mabel Salgado. Romanização e Reforma Católica Ultramontana da Igreja de Juiz de Fora: projeto e limites (1890 – 1924). Dissertação (Mestrado em História Social). Universidade Federal do Rio de Janeiro, Programa de Pós-Graduação em História social. Rio de Janeiro, 2002.

PROCÓPIO FILHO, José. Salvo erro ou omissão: Gente juiz-forana. Juiz de Fora: Esdeva, 1979.

REIS, João José. A Morte é uma festa: ritos fúnebres e revolta popular no Brasil do século XIX. São Paulo: Companhia das Letras, 2004, p. 129.

RODRIGUES, Cláudia. Lugares dos Mortos na cidade dos vivos: tradições e transformações fúnebres no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro/Coleção Biblioteca Virtual/Biblioteca Carioca, 2007.

_______. Nas fronteiras do além: o processo de secularização da morte Rio de Janeiro, séculos XVIII e XIX. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2005.

STEHLING, Luiz José. Juiz de Fora - A Companhia União e Indústria e os Alemães. Edição da Prefeitura Municipal de Juiz de Fora. 1970, pg. 182.

Fontes Documentais

PREFEITURA de Juiz de Fora. Lei 6108 – 13 de janeiro de 1982: Autoriza o Poder Executivo Municipal a implantar o tombamento dos bens culturais situados no Município, móveis e imóveis; cria a Comissão Permanente Técnico – Cultural de preservação dos bens culturais, o Conselho Consultivo e dá outras providências.

Disponível em: http://www.jflegis.pjf.mg.gov.br/c_norma.php?chave=0000017606

acesso em: 05/07/2016

PREFEITURA de Juiz de Fora. Lei 7282 – 25 de fevereiro de 1988: Dispõe sobre a proteção do patrimônio cultural do Município de Juiz de Fora e dá outras providências. Disponível em:

http://www.jflegis.pjf.mg.gov.br/c_norma.php?chave=0000019954

acesso em: 05/07/2016

PREFEITURA de Juiz de Fora. Lei 10777 – 15 de julho de 2004: Dispõe sobre a proteção do Patrimônio Cultural do Município de Juiz de Fora e dá outras providências. Disponível em:

http://www.jflegis.pjf.mg.gov.br/c_norma.php?chave=0000024593

Acesso em: 05/07/2016

PREFEITURA de Juiz de Fora. Decreto 4269 – 19 de fevereiro de 1990: Inclui a Divisão de Cemitérios e Funerárias na estrutura organizacional da Secretaria Municipal de Obras. Disponível em:

http://www.jflegis.pjf.mg.gov.br/c_norma.php?chave=0000013277

Aceso em: 05/07/2016.

PREFEITURA de Juiz de Fora. Processo nº071/2015, v. 01. Interessado: FUNALFA, assunto: tombamento da Ala Velha do Cemitério Municipal Nossa Senhora Aparecida. Situado à rua Osório de Almeida. Bairro Poço Rico.

PREFEITURA de Juiz de Fora. Processo nº1367/1999, v. 01. Interessado: Instituto de pesquisa e planeamento – IPPLAN. Assunto: Tombamento do Mausoléu no túmulo onde se encontra sepultado o Comendador Henrique Guilherme Fernando Halfeld – Fundador de Juiz de Fora. Lei nº 7282/88.

PREFEITURA de Juiz de Fora. Processo nº5318/1997, v. 01. Interessado: IPPLAN, assunto: tombamento de imóvel – CPTC Lei N. 7282 imóvel a Av. dos Andradas N.855. Igreja N. S. da Glória.

PREFEITURA de Juiz de Fora. Processo nº11586/2012, v. 01. Interessado: FUNALFA, assunto: tombamento dos jazigos de personagens de destaque na história de Juiz de Fora, situados na área antiga e nova do cemitério municipal.

PREFEITURA de Juiz de Fora. Quadro II: Inventário de Proteção do Patrimônio Cultural. Divisão de Patrimônio Cultural. Funalfa. Juiz de Fora. Ano 2015. Exercício 2017.

PREFEITURA de Juiz de Fora. Quadro V: Educação Patrimonial Municipal: Projetos de livre escolha. Divisão de Patrimônio Cultural. Funalfa. Juiz de Fora. Ano 2015. Exercício 2017.

Sites:

Alunos do Colégio de Aplicação João XXIII fazem visita Guiada no Cemitério Municipal. Novembro de 2015. Disponível em: https://www.pjf.mg.gov.br/noticias/view.php?modo=link2&idnoticia2=52039 acesso em 25/06/2016.

Instituto Presbiteriano Mackenzie O Cemitério dos Protestantes de São Paulo. Disponível em: http://www.mackenzie.br/10221.html Acesso em: 27 de junho de 2016.

MORALES. Carmen. O Salgeiro. Nova Acrópole. 2009. Disponível em: www.nova-acropole.pt/a_salgueiro.html

Paróquia de Nossa Senhora da Glória. Cemitério da Glória. Disponível em: http://www.paroquiadagloria.org.br/?pagina=espiritualidade Acesso em: 27 de junho de 2016.

VIANNA, Alexander Martins. Estudo Introdutório às 95 Teses de Martinho Lutero. Revista Espaço Acadêmico. Nº. 34. Março/2004. Mensal. ISSN 1519.6186.

Disponível em: http://www.espacoacademico.com.br/034/34tc_lutero.htm Acesso em: 28 de junho de 2016.

JF Clipping: 10º Prêmio Amigo do Patrimônio recebe inscrições. Disponível em: http://www.jfclipping.com/wp/prefeitura-10o-premio-amigos-do-patrimonio-abre-inscricoes-na-segunda-feira/cidade/prefeitura Acesso em: 04/07/2016.

Seminário de Patrimônio está com inscrições abertas. Disponível em: http://www.acessa.com/cultura/arquivo/noticias/2013/04/03-seminario-sobre-patrimonio-cultural-esta-com-as-inscricoes-abertas/ Acesso em 04, de julho de 2016.


##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Incluir comentário

Direitos autorais 2020 Fabricio da Silva Fernandes

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

NOVO QUALIS CAPES B2