O ENSINO UNIVERSITÁRIO NA CONTEMPORANEIDADE: A APRENDIZAGEM E SEUS DESAFIOS. (Dossíê: Práticas de Ensino e Aprendizagem: a experiência docente e os desafios epistemológicos e metodológicos da educação)

Solange Maria Moreira Campos, João Bernardo da Silva Filho

Resumo


The teaching in the university in the contemporaneity:
learning and its challenges

Resumo: Um dos objetivos deste estudo é apresentar considerações e reflexões acerca do ensino universitário na contemporaneidade, a partir de uma discussão sobre como as relações interpessoais envoltas pelo individualismo afetam a aprendizagem dos alunos. Ao mesmo tempo, pretende abordar, de maneira breve, as transformações advindas da revolução tecnológica e da informacional que, além de estarem diretamente relacionadas à vida dos estudantes, também comprometem a socialização do conhecimento, o que, por consequência, deságua nas múltiplas dificuldades de aprendizagem vividas pelo alunado. A partir desse contexto e dos dados estatísticos do Censo da Educação Superior e seus resultados, faz-se, primeiramente, uma análise histórica a respeito, na perspectiva de compreender os desafios do aprendizado envolvido, principalmente, pelas transformações contemporâneas e que estão relacionados tanto ao corpo docente como ao discente. Nesse percurso, conclui-se que a cultura escolar, construída compartimentando-se o conhecimento,  precisa restaurar aptidões naturais para, contextualizando  saberes, integrá-los em seus conjuntos (Morin, 2003). Nesse sentido, é possível considerar que o processo de aprendizagem se torne mais efetivo, podendo  provocar a mudança de uma visão determinista e formal para  uma   percepção mais livre e criadora. A contextualização se tornará sinônimo da integração do conhecimento para a condução do dia a dia acadêmico.
Palavras-chave: Ensino universitário. Aprendizagem. Transformações tecnológicas e informacionais.


Abstract: One of the objectives of this study is to present considerations and reflections about university education in the contemporary world, based on a discussion about how the interpersonal relations involved in individualism affect students’ learning. At the same time, it intends to briefly address the transformations arising from the technological and informational revolution which, in addition to being directly related to students’ lives, also compromise the socialization of knowledge, which, consequently, learning by the student. From this context and from the statistical data of the Census of Higher Education and its results, a historical analysis is made first, with a view to understanding the learning challenges involved, mainly, by the contemporary transformations that are related both to the faculty as the student. In this way, it is concluded that school culture, constructed by compartmentalizing knowledge, needs to restore natural abilities to contextualize knowledge, to integrate them into their sets (Morin, 2003). In this sense, it is possible to consider that the learning process becomes more effective, and may lead to a change from a deterministic and formal vision to a freer and more creative perception. Contextualization will become synonymous with the integration of knowledge for the conduct of academic day-to-day.
Keywords: University education. Learning. Technological and informational transformations.

Recebido em: 26/12/2017  – Aceito em 19/01/2018


Palavras-chave


Transformações Tecnológicas, Pratica de Ensino, Aprendizagem Significativa

Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

BAUMAN. Zygmunt. A sociedade individualizada: vidas contadas e histórias vividas. Trad.José Gradel. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.

BRASIL. INEP. Censo da Educação Superior 2016. Brasília: 31 ago. 2017. Disponível: . Acesso em 11 nov. 2017.

DUBY, George. Ano 1000, Ano 2000 na pista dos nossos medos. trad. Eugênio Michel da Silva, (et.al) São Paulo: Fundação da editora UNESP, 1998.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia. Saberes necessários à prática educativa. 27. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

BRASIL. INEP. Censo da Educação Superior 2016. Brasília: 31 de agosto de 1027. Disponível: . Acesso em 11 nov. 2017.

MCLUHAN, Marshalls. Os meios de comunicação como extensões do homem. Rio de Janeiro: Cultrix Pensamento, 2008.

MORIN, Edgar. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Trad. Eloá Jacobina. 8 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003.

SEVCENKO, Nicolau. O Renascimento. São Paulo: Atual, 1994. Coleção Discutindo a História.

SOUSA SANTOS, Boaventura. O risco da desimaginação social. Disponível: . Acesso em 08 dez. 2017.

TARNAS, Richard. A epopeia do pensamento ocidental: para compreender as ideias que moldaram nossa visão de mundo. Trad. Beatriz Sidou. 4ª ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.


##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Solange Maria Moreira Campos, João Bernardo da Silva Filho

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

NOVO QUALIS CAPES B2