A ESCRITA DA MEMÓRIA – A CONTRIBUIÇÃO DO IMAGINÁRIO SOCIAL PARA A PRESERVAÇÃO PATRIMONIAL DA CASA DA GLÓRIA (DIAMANTINA-MG (Dossiê: Gestão, Educação e Patrimônio Cultural)

Isabella Brandão Lara

Resumo


Resumo: O presente trabalho tem como objetivo demonstrar as diversas versões que as fontes apontam para a história da Casa da Glória, localizada da cidade de Diamantina, Minas Gerais, e símbolo da campanha “Diamantina Patrimônio Cultural da Humanidade”. Pretende-se, com a diversidade de narrativas históricas , ampliar o olhar que a população e os visitantes têm sobre este imóvel e demonstrar como essa multiplicidade de vozes compõem formas coletivas e individuais de se relacionar com o patrimônio material.  A metodologia utilizada para o desenvolvimento desta pesquisa foi a realização de entrevistas, levantamento de fontes documentais e referencial bibliográfico. A principal conclusão deste artigo corrobora com a ideia de que é preciso conhecer para preservar. Quando a comunidade sente-se pertencente a um patrimônio, os próprios moradores atuam como guardião do bem e colaboram para a ampliação de seus processos de conservação e relevância social.


Palavras-chave: Casa da Glória, Passadiço, Colégio Nossa Senhora das Dores.

Abstract: This study aims to demonstrate the different versions that the sources point to the history of the House of Glory, located in the city of Diamantina, Minas Gerais, and symbol of the campaign "Diamantina Cultural Heritage". It is intended, with the diversity of historical narratives, broaden perspectives that the population and visitors have about this property and demonstrate how this multiplicity of voices make collective and individual ways of relating to the material heritage. The methodology used to develop this research was conducting interviews, survey of documentary sources and bibliographic references. The main conclusion of this article corroborates the idea that you need to know to preserve. When the community feels belonging to an estate, the residents themselves act as guardian of good and collaborate to expand their conservation processes and social relevance.


Keywords: House of Glory, Walkway, College Our Lady of Sorrows.

Recebido em: 23/05/2015 – Aceito em 19/06/2015


Palavras-chave


Casa da Gloria, Memória, Passadiço, Colégio Nossa Senhora das Dores

Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

ABBAS, América. Diamantina, Minas Gerais, 08 de julho de 2014. Entrevista concedida a Isabella Brandão Lara.

ASANO, S. N. . Vigiai e Orai: a Associação das Filhas de Maria e a preparação das mulheres para a missão de 'guardiãs naturais da moral e da religião'. In: V Congresso de Iniciação Científica da Universidade de Brasília, 1999, Brasília. Anais do V Congresso de Iniciação Científica da Universidade de Brasília. Brasília: EdUnB, 1999. p. 234.

ASANO, S. N. . Colégio Nossa Senhora das Dores e a formação de piedosas Filhas de Maria, dedicadas professoras e perfeitas esposas. In: II Congresso Brasileiro: História, Memória da Educação Brasileira, 2002, Natal. Anais do II Congresso Brasileiro: História e Memória da Educação Brasileira. Natal: Núcleo de Arte e Cultura da UFRN, 2002.

BARBOSA, Joaquim Ribeiro. Diamantina, Minas Gerais, 08 de julho de 2014. Entrevista concedida a Isabella Brandão Lara.

BURTON, Richard Francis. Viagem de canoa de Sabará ao Oceano Atlântico. Editora da Universidade de São Paulo, 1977.

CAMARGO, Angélica Ricci. Intendência dos Diamantes. Disponível em: http://linux.an.gov.br/mapa/?p=3987. Acesso dia 29 de abril de 2015.

LACERDA, Mariana de Oliveira. Diamantina, Minas Gerais, 06 de julho de 2014. Entrevista concedida a Isabella Brandão Lara.

LACERDA, Mariana de Oliveira. Paisagem da Terra dos Diamantes: passado e presente a favor de uma reflexão prospectiva. Tese de Doutorado. Instituto de Geociências daUniversidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, vol. 2, 2014b.

LAGE, Ana Cristina Pereira. Pedagogia vicentina: as primeiras escolas confessionais femininas em Minas Gerais na segunda metade do seculo XIX (Mariana e Diamantina). In: V Congresso Brasileiro de História da Educação, 2008, Aracaju. V Congresso Brasileiro de História da Educação. Aracaju: UFSE, 2008.

LAGE, Ana Cristina Pereira. Conexões Vicentinas: Particularidades Políticas e Religiosas da Educação Confessional em Mariana e Lisboa Oitocentistas. Jundiaí: Paco Editorial. 2013. 217p.

LEÃO, Aparecida. Diamantina, Minas Gerais, 07 de julho de 2014. Entrevista concedida a Isabella Brandão Lara.

LEMOS, Celina Borges . Diamantina e sua arquitetura nos contextos da formação do arraial e consolidação da vida: registros e manifestos da modernidade na paisagem cultural entre os séculos XVIII e XIX. In: Anais XIII Seminário sobre Economia mineira 2006. Diamantina: CEDEPLAR/FACE, 2006. p. 72-93.

MACHADO FILHO, Aires da Mata. Arraial do Tijuco Cidade Diamantina. Belo Horizonte: Itatiaia, 1980.

MARTINS, Marcos Lobato. Breviário de Diamantina: uma história do garimpo de diamantes nas Minas Gerais (século XIX). Belo Horizonte: Fino Traço, 2014. 431 p.

MARTINS, Júnia M. Lopes; MARTINS Marcos Lobato. O Colégio Nossa Senhora das Dores de Diamantina e a educação feminina no norte/nordeste mineiro (1860-1940). In: Revista Educação. Belo Horizonte: s/e, nº17, junho, 1993.

MOURÃO, Paulo Kruger Corrêa. O ensino em Minas Gerais no tempo do Império. Centro Regional de Pesquisas Educacionais, 1959.

NASCIMENTO, ERILDO. Diamantina, Minas Gerais, 19 de janeiro de 2015. Entrevista concedida a Isabella Brandão Lara.

TIBÃES, Maria da Conceição Duarte. Diamantina, Minas Gerais, 07 de julho de 2014. Entrevista Concedida a Isabella Brandão Lara.

SAINT-HILLAIRE, Auguste. Viagem pelo Distrito dos Diamantes e litoral do Brasil. Tradução de Leonam de Azeredo Penna. Belo Horizonte: Itatiaia. 1974. 233 p.

SANTOS, Joaquim Felício. Memórias do Distrito Diamantino. Belo Horizonte:Itatiaia. 4ªed. 1976. 338p.

SECRETARIA DO ESTADO DE TURISMO DE MINAS GERAIS. Diamantina. Disponível em: http://www.turismo.mg.gov.br/component/content/article/41/368-diamantina. Acesso em 22 de abril de 2015.

SILVEIRA, Carlos Eduardo et al. Caminhos do turismo em Diamantina: a relação com a origem mineradora, a cultura e o título de patrimônio cultural da humanidade. Revista Vozes dos Vales da UFVJM: Publicações Acadêmicas – MG – Brasil – Nº 01 – Ano I – 05/2012

W4 FILMES. Ouço Passos no Passadiço. Direção Isabella Brandão e Leandro Wenceslau. (35min).Belo Horizonte: 2015.

DOCUMENTOS:

Ata da Câmara Municipal de Diamantina. 11 de março de 1878. Câmara Municipal de Diamantina

Carta de Irmã Guimarães ao Diretor do IPHAN. Diamantina, 04 de abril de 1967. Superintandência Regional do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional de Minas Gerais. Belo Horizonte.

Carta de Irmã Lourdes ao Presidente da República Ernesto Geisel. Diamantina, 19 de setembro de 1977. Superintandência Regional do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional de Minas Gerais. Belo Horizonte.

Inventario de Josefa Maria da Gloria – Arquivo Eclesiastico da Arquidiocese de Diamantina.


##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
 |  Incluir comentário

Direitos autorais