CAMINHOS HISTÓRICOS DA OFICIALIZAÇÃO DA LÍNGUA CABO-VERDIANA. (Dossiê:As fontes para a História da África)

Victor Manuel Eugénia Semedo, Aracy Alves Martins, Maria Amélia Rodrigues de Carvalho Gomes

Resumo


Resumo:Este texto procura articular informações históricas sobre o percurso que vem trilhando a língua materna dos sujeitos nascidos no Arquipélago de Cabo Verde, desde o seu surgimento, como crioulo de base lexical portuguesa, até seu uso generalizado, em contextos informais de oralidade, em situação de diglossia em relação à Língua Portuguesa (LP), língua oficial. Percebem-se movimentos em busca da padronização, da escrita e da oficialização da Língua Cabo-Verdiana (LCV), para que possa ser utilizada em ambientes formais, ser considerada língua de ensino, em paridade com a Língua Portuguesa, em processo de construção de um Bilinguismo Funcional. São analisados documentos oficiais, até chegar à resolução governamental de 2015, que anuncia medidas concretas para o enquadramento jurídico, consolidação e oficialização da LCV, considerando a importância da língua do cotidiano, do sentir e do viver dos cabo-verdianos, para o fortalecimento da identidade cultural do país.

Palavras-chave: Língua Cabo-Verdiana, Bilinguismo, Oficialização

HISTORICAL TRAJECTORY OF CAPE-VERDEAN LANGUAGE OFFICIALIZATION

ABSTRACT

The present study aims at articulating historical information on the trajectory that the mother language of subjects born in Cape Verde Archipelago has been tracing, since its begin, as a Creole language of Portuguese lexical base, until its generalized use, in orality informal contexts, diglossia situation in relation to Portuguese Language (PL), the official language. We observe movements towards standardization of written and of the officialization of Cape-Verde language (CVL) in order that it can be used in formal environments, to be considered teaching language, in parity with Portuguese language, in the construction process of a Functional Bilingualism. We have analyzed official documents, up to the governmental regulation of 2015 that announces concrete measures for the legal framework, consolidation and officialization of CVL, taking into consideration the importance of the language for the daily life, of the feelings and lifestyle of cape-verdeans of the strengthening of the country’s cultural identity.

Keywords: Cape-Verdean Language; Bilingualism; Officialization.

Recebido em: 31/05/2015  – Aceito em 15/11/2015


Palavras-chave


Linguistica; Cabo Verde; Letras

Texto completo:

PDF

Referências


ASSEMBLEIA NACIONAL DA REPÚBLICA DE CABO VERDE. Constituição da República de Cabo Verde (Revista em 1999). Publicação: BO - Suplemento, I Série - Nº 43 de 23 de Novembro de 1999, 2000.

BOLETIM OFICIAL DA REPÚBLICA DE CABO VERDE. Resolução nº 48/2005. In Boletim Oficial Da República De Cabo Verde nº 46, 14 de Novembro de 2005. Praia: Imprensa Nacional de Cabo verde, 2005.

Boletim Oficial da República nº 25 de 15 de Abril 2015. Resolução Conselho de Ministros nº 32/2015, 2015.

BRITO, A. de Paula. Dialectos Crioulos – Portugueses. Apontamentos para a Gramática do Crioulo que se fala na ilha de Santiago de Cabo Verde. In Boletim da Sociedade de Geografia de Lisboa, 7ª série, nº 10, pp. 623-669,1887.

BRITO-SEMEDO, Manuel; MORAIS, Joaquim. Pedro Cardoso, Textos Jornalísticos e Literários. Biblioteca Nacional e do Livro, Praia. 2008

CARDOSO, Pedro. Folclore Caboverdeano. Paris: Solidariedade Cabo-Verdiana. (1ª edição 1933) Reeditado em 1983.

CARREIRA, António, O Crioulo de Cabo Verde – surto e expansão. Lisboa: Edição do autor, 1982.

CARREIRA, António. Formação e extinção de uma sociedade escravocrata (1460-1878). Praia: Instituto Cabo-verdiano do Livro, 1983.

Constituição da República de Cabo Verde, revista em 2010, INCV, Praia, 2010.

DUARTE, Dulce. Bilinguismo ou Diglossia? Praia: Splen Edições, 1998.

FERNANDES, Armando Napoleão Rodrigues. Dialecto Crioulo do Arquipélago de Cabo Verde. Gráfica do Mindelo, 1991.

FREIRE, Maria Goreti. O Ensino do Português (L2) a partir do Cabo-Verdiano (LM). Lisboa, Universidade de Lisboa. Dissertação de Mestrado (não publicada) 2007.

GOMES, Maria Amélia. Representações sobre o uso da língua cabo-verdiana em aula de português. Lisboa, Universidade de Aveiro. Dissertação de Mestrado (não publicada) 2008.

GRUPO PARA A PADRONIZAÇÃO DO ALFABETO, Proposta de Bases do Alfabeto Unificado para a Escrita do Cabo-Verdiano, Praia, IIPC, 2006.

INFORPRESS - Agência Cabo-Verdiana de Notícias. Uni-Cv Realiza Mestrado em Crioulística e Língua Cabo-Verdiana a Partir de Novembro. 6 de Novembro de 2010. Disponível Em: https://www.inforpress.publ.cv/cultura-mlt/34153-uni-cv-realiza-mestrado-em-crioulstica-e-lngua-cabo-verdiana-a-partir-de-novembro- Acesso em 28 de maio de 2015.

LOPES, Amália. As Línguas de Cabo Verde - Uma Radiografia Sociolinguística. Lisboa, Universidade de Lisboa. Tese de doutoramento, 2011.

LOPES, Baltasar. O Dialecto Crioulo de Cabo Verde. Lisboa, Imprensa Nacional-Casa da Moeda,1984.

MED – Ministério da Educação e do Desporto. Educação em Notícias Newsletter. Ano VII, Ed. Nº. 19, out/nov. 2013. Disponível em: www.minedu.gov.cv Acesso em 26 de Maio de 2015

MENDONÇA, Maria Norberta. Gestão Curricular da Língua Cabo-Verdiana – Sua integração nos curricula. Aveiro: Universidade de Aveiro. Dissertação de Mestrado (não publicada), 2005.

MINISTÉRIO DE EDUCAÇÃO. Plano de Estudos para o Ensino Secundário. República de Cabo Verde, 1996.

MINISTÉRIO DO ULTRAMAR. Lei Orgânica do Ultramar Português. Lisboa. Agência Geral do Ultramar, 1967.

MINISTÉRIO DO ULTRAMAR. Lei Orgânica do Ultramar Português. Lisboa. Agência Geral do Ultramar, 1972.

MONTEIRO, Adelaide. A língua Cabo-Verdiana e a Política Linguística no País – Cabo Verde. Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Dissertação de Mestrado (não publicada), 2007.

SANCHES, Maria de Fátima. Atitude de alguns cabo-verdianos perante a Língua Materna. Praia: Instituto da Biblioteca Nacional e do Livro, 2005.

SPÍNOLA, Danny. Evocações, Vol. I, Instituto da Biblioteca Nacional e do Livro, Praia, 2004.

SUPLEMENTO AO BOLETIM OFICIAL DE CABO VERDE. Decreto-Lei n.º 67/98. Série nº 48 de 31 de Dezembro de 1998. Praia: Imprensa Nacional de Cabo Verde.

SUPLEMENTO AO BOLETIM OFICIAL DE CABO VERDE. Lei Constitucional nº1/V/99, In Suplemento ao “Boletim Oficial” de Cabo Verde, nº 43, de 23 de Novembro de 1999, Praia, Imprensa Nacional de Cabo Verde.

SUPLEMENTO AO BOLETIM OFICIAL DE CABO VERDE. Lei de Bases do Sistema Educativo (1990) No. 103/III/90 de 29 de Dezembro. In Suplemento ao Boletim Oficial de Cabo Verde, nº 52. Praia. Imprensa Nacional de Cabo Verde.

TAVARES, Eugénio. Mornas - Cantigas Crioulas, Lisboa, ed. J. Rodrigues& Cª (edição póstuma) 1932.

VEIGA, Manuel. A Construção do Bilinguismo. Praia, Cabo Verde: Instituto da Biblioteca Nacional e do Livro, 2004.

VEIGA, Manuel. O Crioulo de Cabo Verde, Introdução à Gramática. Praia, Cabo Verde: Instituto Cabo-Verdiano do Livro, 1995.


##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários
 |  Incluir comentário

Direitos autorais 2016 Victor Manuel Eugénia Semedo, Aracy Alves Martins, Maria Amélia Rodrigues de Carvalho Gomes

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.