A PAISAGEM CULTURAL DO NORTE DO ESTADO DO MATO GROSSO: CONSTRUINDO A MEMÓRIA DO RIO TELES PIRES (Dossiê: Gestão, Educação e Patrimônio Cultural)

Raul Amaro de Oliveira Lanari, Mariana Gonçalves Moreira, Leylane Ferreira

Resumo


Resumo: Este artigo tem como objetivo a análise das práticas e modos de vida tradicionais dos pescadores residentes nas margens do rio Teles Pires, na região norte do estado do Mato Grosso, Brasil. Utilizaremos o conceito de Paisagem Cultural para identificar a complexa rede de interações estabelecidas entre elementos naturais e culturais que, em conjunto, integram a as experiências de vida de pessoas dedicadas ao trabalho no rio Teles Pires. Serão analisadas as percepções de moradores locais, cujos relatos fornecem subsídios para o estudo do processo histórico de ocupação e apropriação do espaço, bem como dos significados simbólicos a ele atribuídos. A pesca artesanal se destaca dentre os aspectos que caracterizam o modo de vida tradicional da população ribeirinha. Diversas transformações no cotidiano dos ribeirinhos ocorreram nos últimos anos em decorrência de mudanças climáticas e da implantação de um empreendimento hidrelétrico – a UHE Colíder. Nos depoimentos dos pescadores é possível identificar como eles narram suas histórias de vida, ressaltando valores caros a suas identidades culturais, e também os significados atribuídos ao processo de transformação nos modos de vida. Esperamos recuperar as vozes dos moradores locais para  contribuir para a construção da memória do Rio Teles Pires frente ao processo de transformação observado nas últimas décadas.

Palavras-chave: Paisagem Cultural; Memória; rio Teles Pires.

 

Abstract: This article discusses the usage of the concept of “cultural landscape” in a specific case: the Teles Pires river, situated in the north of the state of Mato Grosso, Brazil. The article seeks to comprehend the complex interational network established between natural and cultural elements which constitute de local landscape. The historical process of colonization and the symbolic dimension of the landscape by the inhabitants will be descripted with the analisys of their testimonies, registered during the fieldwork period. The traditional phishing practice appears to us as the most representative aspect of the communities whose members live by the Teles Pires river.

Keywords: Cultural Landscape;  Memory; Teles Pires river.

Recebido em: 05/03/2015 – Aceito em 10/06/2015


Palavras-chave


Mato Grosso; Patrimônio Ambiental; Cultura

Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS E FONTES ELETRÔNICAS

• BACHA, Carlos José Caetano; PRATES, Rodolfo Coelho. O processo de desenvolvolvimento e desmatamento da Amazônia. Economia e Sociedade, Campinas, v.10, n.3 (43), dez/2011, p. 605. Disponível em: http://www.scielo.br/ pdf/ecos/v20n3/a06v20n3.pdf

• BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/ constituicao.htm. Acesso em 01 de novembro de 2013.

• BRASIL. Lei Federal N°. 6.496, de 7 de dezembro de 1977. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L6496.htm. Acesso em 02 de novembro de 2013.

• BRASIL. Lei Federal N° 6938, 31 de agosto de 1981. Disponível em: http://www010.dataprev.gov.br/sislex/paginas/42/1981/6938.htm. Acesso em 02 de novembro de 2013.

• COMPANHIA Paranaense de Energia – COPEL. Especificação Técnica do Programa de Salvamento do Patrimônio Histórico, Cultural e Paisagístico e Educação Patrimonial do Projeto Básico Ambiental – PBA do empreendimento UHE COLÍDER - 300 MW. Curitiba, 2011.

• _______________________________________. Usina Hidrelétrica Colíder – Materiais de Comunicação. Disponível em: http://www.copel.com/uhecolider/noticiasp?not=%2Fuhecolider%2Fpagcopel2nsf%2Fd ocs%2F2377BCD6A036D74A032578C400690B7B. Acesso em 15 de agosto de 2013.

• CAMARGO, Lígia (org). Atlas de Mato Grosso: abordagem socioeconômico-ecológica. Cuiabá, MT: Entrelinhas, 2011.

• CASTIGLIONE, Luis. O mapa do Brasil ao tempo da Primeira República: O caso da proposta de Teixeira de Freitas (1932). Estatística e Sociedade, Porto Alegre, Vol. 2, nov.2012, p. 204-223. Disponível em: seer.ufrgs.br/ estatisticaesociedade/article/download/36563/23660

• CASTROGIOVANNI, Antônio Carlos. Existe uma Geografia do Turismo? In.: GASTAL, Susana; BENI, Mario Carlos; CASTROGIOVANNI, Antônio Carlos (org.). Turismo: Investigação e Crítica. – São Paulo: Contexto, 2002. (Coleção Turismo Contexto).

• CUNHA, M. C. “Populações tradicionais e a convenção da diversidade biológica”. In: Estudos Avançados, São Paulo. v.13, n.36, p.147 – 163, 1999.

• DELPHIM, Carlos Fernando de Moura. Manual de intervenções em jardins históricos. Brasília: IPHAN, 2005.

• ESCRIBANO, B., MILAGRO, M., FRUTOS, M., MATAR, C., TORRES, I. A Paisagem: Unidades temáticas ambientais e a direção do meio ambiente. Brasília:. Ministério de Obras Públicas e Urbanismo. 1987.

• FALCHETTI, Sirlei Ana. Percepções sociais do desenvolvimento e impacto ambiental – Sinop/MT, 1979-2009. (Dissertação de Mestrado em Ciências Sociais). São Leopoldo: Universidade do Vale do Rio dos Sinos – UNISINOS, 2010, p. 52.

• FERREIRA, Marieta Morais. História oral: um inventário das diferenças . In.: FERREIRA, Marieta Morais et. al. (orgs.). Entre-vistas: abordagens e usos da história oral. Rio de Janeiro: Editora da Fundaçào Getulio Vargas, 1994.

• FONSECA, Paulo Cesar Dutra. Instituições e política econômica: crise e crescimento do Brasil na década de 1930. In.: BASTOS, Pedro Paulo Zahluth, FONSECA, Paulo Cezar Dutra (orgs.). A Era Vargas: desenvolvimentismo, economia e sociedade. São Paulo: Ed. Unesp, 2012, p. 173-177.

• GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO, Lei Estadual nº 3746, de 18-06-1976.

• GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO, Lei Estadual nº 4158, de 18-12-1979.

• GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO, Leis Estaduais nº 4378, de 16-11-1981 e 4396, de 23-11-1981.

• GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO, Lei Estadual nº 5319, de 04-07-1988.

• INSTITUTO DO PATRIMONIO HISTORICO E ARTÍSTICO NACIONAL. Inventário Nacional de Referências Culturais: manual de aplicação. Brasília: Iphan, 2000.

• LENOBLE, Roberto. História da ideia de natureza. Lisboa: Edições 70, 1969.

• MINISTÉRIO do Desenvolvimento Social. “Famílias de Pescadores Artesanais”. In.: Guia de Cadastramento de Grupos Populacionais Tradicionais e Específicos. Disponível em: http://www.mds.gov.br/ cgsgrupos_populacionais/textos/ ribeirinhas.pdf

• MURARI, Luciana. Natureza e cultura no Brasil (1870-1922). São Paulo: Alameda, 2009.

• OLIVEIRA, Siloé de. Quem foram eles. Colíder, 2007, p. 22-23

• PORTAL Blog Serra da Piedade. Disponível em: http://www.joseis raelabrantes.com.br/pt/photography/list/?page=10. Acesso em 07 de novembro de 2013.

• PORTAL do Corcovado. Disponível em: http://www.corcovado.com.br/. Acesso 09 de novembro de 2013.

• RIBEIRO, R. W. Paisagem cultural e patrimônio. Brasília: Iphan, 2007.

• SANTOS, Milton. Por uma geografia nova: da crítica da geografia a uma geografia crítica. São Paulo: HUCITEC/EDUSP, 1978.

• ______________. Sociedade e espaço: A Formação Social como Teoria e como Método. São Paulo: Boletim Paulista de Geografia, p.18, jun., 1988.

• SAUER, C.O. “A morfologia da Paisagem”. In: CORRÊA, R.L; ROSENDAHL, Z. (Org.). Paisagem, tempo e cultura. Rio de Janeiro: Ed. UERJ, 1998. p. 12-74.

• SCHAMA, Simon. Paisagem e Memória. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

• SELUCHINESK, Rosane Duarte Rosa. De Heróis a vilões: imagem e auto-imagem dos colonos da Amazônia Mato-Grossense. Tese de doutorado. Brasília: UNB, 2008, p. 16-17.

• SEPLAN – Secretaria de Estado de Planejamento e Coordenação Geral. Anuário Estatístico 2004. Cuiabá/MT: SEPLAN, 2004

• SILVA, Larissa Kashina Rebello da. A migração dos trabalhadores gaúchos para a Amazômia Legal (1970-85). I: A questão agrária no Rio Grande do Sul. Disponível em: http://www.klepsidra.net/klepsidra23/agro-rs.htm

• SIMMEL, Georg. “Philosophie du Paysage” (1913) et “La signification esthétique du visage” (1901). In: La Tragédie de la Culture. Paris: Editions Rivages, 1988. Disponível em: http://www.paisagemememoria/silex/44/2010.htm>. Acesso em 03 de novembro de 2013.

• TELLES, L. S. Manual do patrimônio histórico. Porto Alegre: Grafosul, 1977.

• TEMPORIS CONSULTORIA. Programa de Salvamento do Patrimônio Histórico, Cultural e Paisagístico do UHE – Colíder. Belo Horizonte, 2012.

• _____________________. 1º RELATÓRIO TRIMESTRAL | EC-04. Belo Horizonte, 2012.

• _____________________. 2º RELATÓRIO TRIMESTRAL | EC-05. Belo Horizonte, 2013.

• _____________________. 3º RELATÓRIO TRIMESTRAL | EC-06. Belo Horizonte, 2013.

ENTREVISTAS

• Depoimento do Sr. Manoel Alves de Sousa Saraiva, morador da Comunidade Fofoca, município de Colíder. Entrevista realizada em 16/05/2013.

• Depoimento do Sr. Natalio Aparecido de Sousa Pinto, morador de uma das ilhas no curso do rio Teles Pires, no município de Colíder. Entrevista realizada em 15/05/2013.

• Depoimento do Sr. Alaéce Inocêncio, caseiro residente na Fazenda Bananal. Entrevista realizada em 20/08/2013.


##plugins.generic.alm.title##

##plugins.generic.alm.loading##

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Incluir comentário

Direitos autorais