Ciência, tecnologia, mídia e igualdade de gênero: estratégias de comunicação científica

Stella Cêntola Pupo, Tuany de Menezes Oliveira, Emerson Ferreira Gomes, Rui Manoel de Bastos Vieira, Emerson Izidoro dos Santos, Luís Paulo de Carvalho Piassi

Resumo


Este artigo trata do uso de produtos culturais na divulgação e comunicação da ciência e da tecnologia para adolescentes. A temática tratada é a igualdade de gêneros na ciência e tecnologia. Para isto nos valemos de referenciais de estudos culturais para analisar a relação entre a mulher, a ciência e tecnologia. As intervenções ocorreram em espaços escolares, em período contraturno através de estratégias socioculturais.


Palavras-chave


Divulgação Científica; Igualdade de Gêneros; Educação Não-Formal; Comunicação da Ciência

Texto completo:

PDF

Referências


BRANDINI, Valéria. Panorama histórico: MTV Brasil. In: PEDROSO, M. G.; MARTINS, R. (Org.). Admirável Mundo MTV Brasil. São Paulo: Saraiva, 2006, p. 02-23.

BYNUM, William. Uma breve história da ciência. Rio de Janeiro: L&PM, 2014.

CABRAL, Carla Giovana; PEREIRA, Guilherme Reis Introdução aos Estudos CTS. Natal: EDUFRN, 2011.

CALDAS, Graça. Mídia e políticas públicas para a comunicação da ciência. C. de M; BROTAS, A.M.P; BORTOLIERO, S.T. (orgs.). Diálogos entre Ciencia e Divulgação científica: Leituras Contemporâneas. Salvador: Edufba, 2011.

DO VALE CARIBÉ, Rita de Cássia. Comunicação científica: reflexões sobre o conceito. Informação&Sociedade, v. 25, n. 3, 2015.

FLICKER, Eva. Between brains and breasts—women scientists in fiction film: on the marginalization and sexualization of scientific competence. PublicUnderstandingOfScience,v. 12, n. 3, p. 307-318, 2003.

FREIRE, Paulo. Extensão ou comunicação? Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1983

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GRANDE, Ariana. (intéprete) Break Free.My Everything. New York: Republic (2014) CD (3min35s)

GRIGOLETTO, Evandra. O discurso de divulgação científica: um espaço discursivo intervalar. Tese de Doutorado em Letras - Programa de Pós-Graduação em Letras, Instituto de Letras, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005.

KELLNER, Douglas. A Cultura da mídia – estudos culturais: identidade e política entre o moderno e o pós-moderno. Bauru: EDUSC, 2001.

LIMA, Betina Stefanello; DE SANTANA BRAGA, Maria Lúcia; TAVARES, Isabel. Participação das mulheres nas ciências e tecnologias: entre espaços ocupados e lacunas. Revista Gênero, v. 16, n. 1, 2016.

LIMA, Guilherme da Silva. O professor e a divulgação científica: apropriação e uso em situações formais de ensino. Tese de Doutorado em Educação - Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015.

MARTIN, María. O supermercado reage a Temer: “Ele quer voltar aos tempos da ‘Amélia”. El País. Disponível em:

MORIN, Edgar. Ciência com consciência. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

NOLAN, Chritopher (diretor). INTERESTELAR, Produção: Emma Thomas. Los Angeles: Warner Brothers, 2014 DVD. (169 min.). Produzidopor Warner Video Home.

PONTES, Pedro. Linguagem dos videoclipes e as questões do indivíduo na pós-modernidade. Sessões do Imaginário, Porto Alegre, n. 10, p. 47-51, novembro, 2003. Disponível em: . Acesso em: 28 mar. 2017.

RODRIGUES, Elsa Margarida da Silva. Alteridade, tecnologia e utopia no cinema de ficção científica norte americano: a tetralogia Alien. Tese de Doutorado em Sociologia - Universidade de Coimbra. Coimbra, 2010.

SNYDERS, Georges. A alegria na escola. São Paulo: Manole, 1988.

SUSSI, Juliana Schavo et al. Videoclipe, estética e linguagem:sua influência na sociedade contemporânea. XXX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação – Intercom, Santos, SP, setembro, 2007. Disponível em: . Acesso em: 28 mar. 2017.

SALAS, Javier. A ciência que discrimina a mulher. El País. Disponível em: . Acesso em 28 mar. 2017.

SOARES, Thiago. Itinerários do videoclipe na cultura midiática. Culturas Midiáticas, Paraíba, v. 3, n. 1, jan/jun, 2010. Disponível em: Acesso em: março de 2017.

TAVEIRA, Maurício Cândido. Tecnologia e Linguagem do Planeta Tlön MTV Brasil. In: PEDROSO, M. G.; MARTINS, R. (Org.). Admirável Mundo MTV Brasil. São Paulo: Saraiva, 2006, p. 50-59.

TOSI, Lúcia. Mulher e ciência: a revolução científica, a caça às bruxas e a ciência moderna. CadernosPagu, Campinas, n. 10, p. 369-397, agosto, 1997.

VAN DIJCK, José. After the “Two Cultures”: Toward a “(Multi)”cultural” Practice of Science Communication. Science Communication, Thousand Oaks, v. 25. n. 2, p. 177-190, December 2003.




Direitos autorais 2017 Stella Cêntola Pupo, Tuany de Menezes Oliveira, Emerson Ferreira Gomes, Rui Manoel de Bastos Vieira, Emerson Izidoro dos Santos, Luís Paulo de Carvalho Piassi

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

 

NOVA CHAMADA | e-COM

Até o dia 15 de dezembro de 2017, a revista e-Com (www.unibh.br/revistas/ecom) recebe artigos, resenhas, traduções e entrevistas para sua próxima edição (v. 10/nº 2/2017).

DOSSIÊ 

 “JORNALISMO & LITERATURA: MARGENS E IMAGENS

 

O dossiê do próximo número terá, como editor convidado, o professor e escritor Leo Cunha, do UniBH.

 



Maurício Guilherme Silva Jr.

Editor-chefe da revista e-Com

[ecom@unibh.br / www.unibh.br/revistas/ecom]

Normas da publicação


1. A revista e-Com (www.unibh.br/revistas/ecom) aceita artigos, resenhas e entrevistas para publicação. Todos os textos devem ser inéditos em sua especialidade: resultados de pesquisas; resenhas e recensões críticas de obras científicas recém-publicadas nas áreas de mídia, cultura, sociedade, novas tecnologias, Jornalismo, Publicidade e Propaganda, semiótica etc. (Obs.: Não serão aceitos capítulos de dissertações ou teses em que essa condição possa ser constatada no texto.)

2. O material para publicação deverá ser encaminhado, por meio eletrônico, após cadastro do autor do endereço eletrônico da revista: www.unibh.br/revistas/ecom

3. Todos os trabalhos deverão ser enviados, por meio do programa Microsoft Word for Windows, em fonte Times New Roman, corpo 12 e espaço 1,5.

4. De cada autor ou conjunto de autores, só será aceito, para publicação, um artigo por ano.

5. O(s) autor(es) deve(m) ser graduado(s), mestre(s) ou doutor(es). Não serão aceitos trabalhos de alunos sem a coautoria de seus respectivos orientadores.

6. Os trabalhos encaminhados devem ter de 10 a 20 páginas.

7. O material a ser publicado deve ser acompanhado de folha de rosto, com indicação de título; autor ou autores; instituição em que trabalha cada autor e atividade exercida na referida instituição; titulação acadêmica de cada autor; e-mail para contato.

8. Artigos e resenhas devem ser formatados em página A4, com espaçamento 1,5 e em fonte Times New Roman, 12. No caso de artigos, os textos devem ter de 10 a 20 páginas; no caso de resenhas, o limite são 5 páginas. Os artigos precisam conter:

a) Título (a expressar o conteúdo e a ideia geral do texto);

b) Resumo de até 10 linhas, em português;

c) Palavras-chave;

d) Nome do autor;

e) Em nota de rodapé, deve constar a titulação e a instituição da maior titulação do(s) autor(es), programa(s)/instituição(ões) ao(s)/à(s) qual(is) está(ão) vinculado(s) e e-mail.

f)  Pede-se, ainda, um abstract, em inglês, de até 10 linhas, para fins de indexação.

g) Também é preciso revelar se o texto já foi apresentado em congressos, simpósios, seminários etc.

h) As referências bibliográficas (Exemplo: SOBRENOME, Nome. Título do Livro. Cidade: editora, ano.) devem aparecer, em ordem alfabética, ao final do artigo.

9. Ilustrações, gráficos e tabelas (indicar a fonte quando não forem originais do trabalho), com as respectivas legendas e/ou numerações, deverão vir em folhas separadas, indicando-se, no texto, o lugar onde devem ser inseridos.

10. As notas de rodapé devem figurar ao pé da página em que seu número aparece. As notas de indicação bibliográfica, em pé de página, devem ser apresentadas observando-se a seguinte norma: sobrenome do autor em maiúsculas, título do livro ou texto consultado e número da página.

11. As referências deverão aparecer completas, ao final do artigo, em ordem alfabética de sobrenome de autor, atendendo-se às regras para indicação bibliográfica, conforme a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), cujos elementos básicos especificamos a seguir:

Citação de artigo de revista deverá conter: autor(es) do artigo, título do artigo, título da revista grifado, local da publicação, número do volume, número do fascículo, páginas inicial e final do artigo citado, mês e ano da publicação;

Citação de capítulo de livro deverá conter: autor(es), título do capítulo, organizador(es) da coletânea, título do livro grifado, número da edição (a partir da segunda), local de publicação, editora, data, página inicial e final do capítulo.

Citação de livro deverá conter: autor(es), título grifado, número da edição (a partir da segunda), local de publicação, editora, data, número total de páginas.

12. As páginas deverão ser numeradas na margem superior direita.

13. O material deverá vir devidamente revisado pelo autor. A Comissão Editorial terá direito de realizar nova revisão e alterações necessárias.

14. Os autores serão informados sobre a publicação ou não de seus artigos, desde que forneçam endereço eletrônico. A Comissão Editorial não se responsabilizará pela comunicação dessa informação aos autores que tiverem as mensagens eletrônicas a eles endereçadas devolvidas pelos provedores, por razões alheias à própria Comissão. Não serão emitidos, nem remetidos aos autores, pareceres escritos sobre artigos não aceitos.

 

ISSN: 1983-0890 | Qualis B5