Atividade Erosiva em Trilhas de Unidades de Conservação: Estudo de Caso no Parque Nacional da Serra do Cipó, Minas Gerais, Brasil

Laura Gualtieri Pinto, Felipe Fonseca de Oliveira, Manuela de Almeida Andrade, Hilton Ferreira Pedrosa, Wellington Aguilar de Santana, Múcio do Amaral Figueiredo

Resumo


O presente trabalho foi realizado no Parque Nacional da Serra do Cipó, cujo foco investigativo aborda a deterioração física do solo no leito principal da trilha da Cachoeira do Sobrado. O monitoramento da atividade erosiva é um das técnicas utilizadas para o diagnóstico do estado de conservação e de segurança para os usuários das trilhas. O método de monitoramento utilizado foi o cálculo da Área Seccional Transversal, consistindo na realização de perfis transversais em determinados pontos das trilhas, obtendo-se resultados de perda e/ou acúmulo de sedimentos pelo cálculo da variação da área em centímetros quadrados. Os resultados mostram que em alguns pontos monitorados houve erosão e em outros, acúmulo de sedimentos. Quando comparados com resultados apurados em países do hemisfério norte para o mesmo período de monitoramento, a área de erosão nas trilhas medida pelo presente trabalho é bem menor. Esse tipo de monitoramento é importante, pois pode apontar situações tais como o aumento do grau de dificuldade para o trânsito de andarilhos, ciclistas e cavalos de montaria no leito principal da trilha, o que os estimularia a abrirem trilhas secundárias, modificando ainda mais o ecossistema e os solos das proximidades, além de subsidiar os gestores da unidade de conservação com dados específicos.

Texto completo:

PDF


A abreviatura do periódico é e-Sci, o qual deve ser utilizado em bibliografias, notas de rodapé e para referências. ISSN: 1984-7688, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Licença Creative Commons
Todo o conteúdo da e-Scientia, exceto quando identificado, está licenciado sob uma licença Creative Commons Atribuição 3.0 Não Adaptada.